22 de junho de 2016

Informe Sintepp

A coordenação geral do Sintepp, sub-sede Parauapebas, informa a todos os trabalhadores da educação que, para a assembleia do dia 23 de junho de 2016, que será realizada a partir das 19:00 horas, na quadra da escola Euclydes Figueiredo, será exigido documento de identificação e que comprovem o vínculo com a rede municipal de ensino. Portanto, os educadores deverão apresentar contracheque e documento oficial com foto ou o crachá da prefeitura para que seu credenciamento seja efetivado.

Coordenação geral

CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL

Novo Documento 1_1 by Sintepp Sub-sede Parauapebas

17 de junho de 2016

Atualização do Documento sobre o Término da Greve com a Pauta Específica da Educação.

Fim Da Greve Atualizado

Decisão do TJE Pará, favorável ao Sintepp, suspendeu os efeitos da ação de abusividade de greve em Parauapebas.

No dia 07 de Junho de 2016, os Profissionais da Educação de Parauapebas conquistaram a anulação de liminar concedida à prefeitura contra a greve de nossa categoria. Depois que o Sintepp procedeu com o mandado de segurança, apreciado em Belém pela Desembargadora Nadja Nara Cobra Meda, a Magistrada suspendeu os efeitos de abusividade de greve, desconsiderando o mérito da ação movida por Valmir Mariano, que tentava criminalizar um movimento legítimo. Sendo assim, a decisão do Tribunal de Justiça do Estado favorável ao Sintepp, consolida e fortalece a luta desta categoria e Coordenação Atual em prol da Educação Pública de Parauapebas. O Sintepp, Sub-sede Parauapebas, agradece mais uma vez a participação de todos que se empenharam nesse grande movimento pela educação em nosso município.

Processo 00047935920168140000

6 de junho de 2016

PRIMEIRA AUDIÊNCIA PÚBLICA DA EDUCAÇÃO

Venha e participe.
Além da promoção do evento por parte da Câmara Municipal de Parauapebas, na figura da Comissão de Educação da casa, várias outras entidades e autoridades estarão participando do evento: Sintepp-Parauapebas, Ministério Público, Poder Judiciário, Semed, Comepa, Fundeb, entre outras.


RESPOSTA DO SINTEPP AOS ATAQUES COVARDES E MENTIROSOS DO GOVERNO VALMIR MARIANO.

Proporcionar condições de trabalho para que os  servidores públicos atendam com qualidade a população é obrigação de qualquer governo que prima pelo estado de direito social. Todavia, no município de Parauapebas esse estado de direito social vem sendo violentado pelo desgoverno de VALMIR Mariano PSD, que covardemente tenta jogar a opinião pública contra o SINTEPP e o SINSEPPAR. Diante da covardia, das mentiras e da falta de compromisso do governo com os servidores e a população, o SINTEPP vem através de sua Coordenação Geral, esclarecer o seguinte:
1. A GREVE GERAL iniciada no último dia 1 de junho está acontecendo em virtude do descumprimento de um acordo que esse governo assinou com o SINTEPP sob o intermédio do Ministério Público no dia 12 de abril de 2016.
2. Os servidores estão lutando pelo pagamento do retroativo do reajuste salarial com base em Janeiro/2016, como também por melhores condições de trabalho e melhorias nas escolas e postos de saúde, pois nas condições em que esses prédios públicos se encontram, compromete a qualidade do atendimento à população.
3. No dia 03/06 novamente os servidores de forma  pacífica tentaram reabrir a mesa de negociação diretamente com o Prefeito VALMIR, entretanto mais uma vez o movimento grevista foi ignorado pelo governo. Mediante essa situação ocupou-se pacificamente algumas dependências do Gabinete da Prefeitura como forma de pressionar o governo a receber os servidores e negociar.
4. Em nenhum momento foi quebrado ou bagunçado qualquer dependência daquela repartição pública, como também não foi agredida nenhuma servidora pelos servidores grevistas. Na verdade assessores do governo tentaram armar uma casinha para criminalizar os servidores, mas não deu certo essa armação. A repórter do Barra Pesada e a vereadora Eliene estavam presentes e podem confirmar que não houve nenhum ato de vandalismo.
5. Com relação ao protesto dos servidores durante a inauguração da praça no bairro Vale do Sol, o movimento grevista buscou conversar com o prefeito e novamente ele ignorou a Greve dos servidores, demonstrando desprezo com a Greve que afeta diretamente a população mais pobre.
6. O SINTEPP é um sindicato que além de lutar por uma educação pública e de qualidade social, luta também contra a violência as mulheres, portanto jamais permitiria qualquer tipo de agressão a qualquer servidora, independente de que lado esteja. Mais uma vez o governo tenta jogar a opinião pública contra os servidores em greve, numa clara demonstração de desespero.
7. Durante a inauguração no dia 03, os servidores em greve foram agredidos pelos assessores, secretários e vereadores do governo. A professora Lilia levou uma cotovelada do vereador Zacarias e o professor Luiz Cláudio um soco na barriga do assessor Duda. Este assessor, juntamente com o secretário de produção, Horácio Martins,  empurrou o coordenador geral do Sintepp, Professor Raimundo Moura  que só não foi mais agredido porque foi socorrido pela categoria.
8. Enquanto o governo ignora a Greve dos servidores a população está sofrendo por falta de atendimento, o SINTEPP é consciente dessa situação, porém, a Greve foi o último recurso encontrado diante do descumprimento por parte do governo, de um acordo assinado na justiça.
9. O SINTEPP reitera publicamente o seu compromisso com a educação pública e de qualidade social e se compromete a suspender a Greve assim que o prefeito negociar e atender de fato a pauta dos servidores.
10. O SINTEPP repudia qualquer ato de violência e exige respeito do governo com a causa dos servidores públicos.
PARAUAPEBAS/PA, 05 de junho de 2016.
Coordenação Geral do Sintepp/ Sub-sede Parauapebas.

24 de maio de 2016

INFORME A SOCIEDADE

GREVE GERAL

Os sindicatos Sintepp e Sinseppar informam a toda a sociedade parauapebense que, após o governo descumprir o acordo firmado com a categoria, os servidores públicos municipais deliberaram por paralisar suas atividades por tempo indeterminado.
Portanto, a partir do dia 1° de junho todas as repartições públicas entrarão em greve.
Contamos com a compreensão de toda a comunidade reafirmando o nosso compromisso com o serviço público e tão logo o governo cumpra com o acordo, o movimento será suspenso.